O dia que muda nossas vidas!

"Bom dia Dr Paulo!
 
Desde o dia 29 de abril estou tentando encontrar tempo e principalmente palavras para agradecer vc e sua equipe. Tempo! Encontrei entre uma mamada e outra. Palavras! Descobri q por mais q eu pense e tente elabora-las, com certeza nao descreverão com perfeição toda a emoção, sensações e sentimentos daquele dia.
 
Seis horas da manhã, já estava eu de pé em frente a televisão assisitindo o que para o mundo era o acotencimento do dia, o casamento do princípe William. Para mim, o acontecimento do mundo estava por vir, estava em suas mãos, literalmente! Acordada as seis para assistir ao casamento? De forma alguma. Arrancada da cama pela enorme ansiedade do que estava por vir, pelo medo do desconhecido, pela certeza q a partir daquele dia a minha vida nunca mais seria a mesma embora ñ fizesse ideia de como de fato iria ser.
 
Malas preparadas, foto ao sair de casa, trajeto que nunca termina. Nossa, como o hospital se mudou para tão loge em uma noite!? Tinha certeza q havia escolhido uma maternidade mais próxima!
 
O manobrista ta calmo, né! Olha como ele vem caminhando traquilamente para pegar o nosso carro! Meus Deus quantas informações na recepção. Tudo bem moço, vc pode ficar com todas as bagagens, mas será q posso passar logo por essa catraca?
 
Que andar mesmo que precisamos ir? 109º? Ufa enfim chegamos! Mais um monte de perguntas, e a seguinte informação: " A senhora terá q esperar um pouco pq as salas pré parto estão ocupadas". Pensei comigo: Ok, se eu tiver um treco de tanta ansiedade ja estou no hospital mesmo e talvez nem tenha q induzir o parto.
 
Chegam os pais, conversa com a equipe de foto, conversa com o pessoal do registro e nada de aparecer uma verdinha por aquele corredor e me chamar.
 
"Senhora Juliana ". sou eu, sou eu, Juliana. Ai q frio na barriga é agora.
 
Entra na sala cumprimenta a enfermeira, tira roupa, poe avental, zilhoes de perguntas para responder... " Ai meu Deus, q horas isso vai comerçar, tô com medo, como será a tal da dor do parto, que legal, n vejo a hora de senti-la"...mais perguntas, mais apresentações. Enfim entra o primeiro anjo do dia na minha vida, Helo. Desculpe a intimidade, mas vc me fez sentir-se assim perto de alguem bem proxima e querida. Alias Helo, vc me lembra muito as irmãs do meu pai. Com toda calma e graça me explicou o q estava por vir. Foi então q, mexe aqui, mexe ali: "Hum eu ñ sei mexer direito nesses aparelhos". Helo, confesso q nesta hora me deu de novo o frio na barriga, mas depois percebi q ñ era aquilo o mais importante, afinal sempre tinha alguem por perto para operar aquela maquina, vc ñ estava ali para isso, seu papel ia muito além, eu só ñ havia compreendido ainda. Aprendi com vc em um dia, o que ñ aprendi em três dias de hospital, com uma equipe inteira de enfermagem. Pronto, estava espetada, com um monte de amarras na barriga e deitada de bunda de fora. Agora vai. Conversa vem, conversa vai e lá vou eu, deita, levanta, deita, levanta de bunda de fora..." Esse xixi tá fogo, mas fazer o que? qdo fico nervosa fico com a torneira aberta mesmo". Helo me faz rir, pega na minha mão, põe oxigênio, pede comida, acheter cialis monitora todos os sinais, mais risada..."ué mas isso é igual cólica mestrual, as vezes parece q a brincadeira vai ficar sem graça, mas logo volta ao normal. Tic tac tic tac... Nessas alturas eu já ñ me lembro bem, quais dos outros 2 anjos apareceram primeiro, ñ pela dor, acho q pela ansiedade. Eu acho q foi a minha serafim (desculpem mas ela ñ poderia estar em outra posição da hierarquia angelical) Dra Lu, mais uma vez desculpe a intimidade, mas é impossível ser formal depois de tanta doçura e dedicação. Vcs sabem q ela era a mais temida, mais q a dor do parto, mais q o parto em si, a BENDITA e digo bendita em letras garrafais (pq é uma delíiiiiiicia), a anestesia. Mas Deus sabe o q faz, me enviou uma anjinha com aureola, harpa e voz angelical para me acompanhar, alcamar e me ensinar muitas, mas muitas coisas sobre o parto, pós parto, autocuidado, cuidado com o bebê, relação familiar. Para mim, q sou da área da saúde e adoro informação estava ficando cada vez mais tranquila e me serviu de calmante. Ok, mas nada da contração pra valer.
 
Cinco horas de trabalho de parto, agora sim, eu acho q chegou o meu anjo guardião. Q delícia olhar p vc Dr Paulo neste dia, depois de longos nove meses. Volto a dizer q por mais q me esforce ñ vou conseguir explicar todo o carinho e confiança q foram construidos neste período. Digo isso por mim e pelo Dan, pois vc conquistou a nós e depois do dia 29, a família toda.
 
Resumindo um pouco, afinal foram 11 horas de "trabalho de parto", hora de romper a bolsa. Que enxurrada de sentimentos junto com aquele líquido escorrendo entre as minhas pernas e as lágrimas nos meus olhos. Primeiro fui inundada de um sentimento de elos rompidos, que vazio, q sensação de separação. Mas logo o sentimento mudou para: "esta tudo começando", ai meu Deus, agora é pra valer...
 
Ai, a dor ta ficando intensa, mas serei forte....ups ta ficando mto forte... CADE A MINHA ANESTESISTA AMADA, QUERIDA, IDOLATRADA, EU TO LOUCAAAAA POR UMA ANESTESIA!

Momento inesquecível, Dan segurando uma mão e vc Dr Paulo segurando a outra, em um gesto de calor humano inigualável, enquanto a Dr Lu com uma mão leve, leve, leve me anestesiou. Pronto? Ufaaa o q eu mais temia já foi....
 
Hora do parto...corre pra sala... a,i q mega frio na barriga, até q enfim a hora chegou. Primeira força, segunda, tereceira e o meu anjinho estava chegando da forma que eu sempre sonhei. Sonho de menina, sonho de mulher, sonho de gestante, de mulher plena. O parto normal, aliás o parto, com tudo que sempre sonhei: luz ambiente, equipe envolvida e carinhosa e meu bebê em meus braços antes de ser limpo. Quanta realização, que sensação de plenitude, acho q posso abraçar o mundo! Obrigada por esperar, obrigada por investir neste parto, obrigada por me permitir sentir o que ñ sei explicar.
 
Mais o que mais aprendi e vivenciei durante todo aquele dia foi algo que uma equipe inteira me ensinou, coisa que vcs não aprenderam estudando anos a fio e talvez muitos profissionais nunca aprenderão. A paixão pelo que se faz, o comprometimento, a dedicação e acima de tudo, SER HUMANO. A paciência e o envolvimento de todos vcs, fez daquele dia mais mágico do que poderia ser. OBRIGADA DR PAULO, por ser o profissional que é, por saber escolher tão bem sua equipe e por ser capaz de se doar tanto em seu trabalho. Jamais esquecerei aquele aperto de mão após o nascimento do Rafael e a emoção também estampada em seu rosto pelo dever muito bem cumprido.
 
Que Deus abençõe vcs! Exemplos de profissionais e de calor humano.....Se todos fossem iguais a vocês..."

Juliana , mãe do Rafael